O dilúvio de Noé realmente aconteceu?


A verdade sobre o dilúvio.

Essas palavras no Genesis descrevem a criação do firmamento.

“No princípio, Deus criou o céu e a terra. A terra era sem forma e vazia, e havia trevas sobre a face do abismo, e o Espírito de Deus pairava sobre a face das águas. E Deus disse: "Haja luz" e houve luz. E Deus viu que a luz era boa, e Deus separou a luz das trevas. Deus chamou à luz Dia e às trevas chamou Noite. E foi a tarde e a manhã, um dia. E disse Deus: "Haja um firmamento no meio das águas, e haja separação entre águas e águas." E Deus fez o firmamento e separou as águas que estavam debaixo do firmamento das águas que estavam acima do firmamento. E assim foi. E chamou Deus à expansão Céus. E foi a tarde e a manhã, o dia segundo.”


Muitos homens interpretam a bíblia como uma história fantástica e imagens que nunca poderiam existir, o dilúvio é uma delas. Se trata de um bloqueio mental imposto pela nossa própria visão da realidade. O homem criou uma visão fictícia da realidade que impede as pessoas de verem a verdadeira realidade. A lógica é a principal forma de bloqueio na mente humana, todos nós usamos a lógica para explicar fatos que não podem ser explicados pela ciência. Nesse artigo eu vou tentar colocar interpretações de que o dilúvio aconteceu realmente e está ligado a presença de um planeta ou uma segunda lua próxima da Terra.

A minha intenção de escrever esse artigo é de tentar explicar alguns fatos sobre o dilúvio, se aconteceu ou se há evidências para que isso realmente acontecesse. Muitas pessoas estão apreensivas sobre um possível fim do mundo em 2012, mas eu estou buscando várias informações em mensagens extraterrenas que falam sobre um evento periódico da galáxia a cada 5.125 anos que poderiam causar uma catástrofe mundial, como um dilúvio  ou uma explosão solar.
Posso afirmar que um dilúvio não aconteceria novamente, apenas uma elevação dos oceanos em 4 metros ou possíveis inundações em regiões costeiras de alguns países cercados pelo oceano. Para que um dilúvio acontecesse teriam vários fatores associados que são: a presença de um planeta próximo da órbita da Terra, uma nova lua ou aproximação da Lua em direção da Terra, esses seriam os únicos fatores que causariam um dilúvio global.
Se o dilúvio foi global seria uma catástrofe que eliminaria quase ou toda a humanidade na Terra, isso poderia ter realmente acontecido há pelo menos 5.125 anos atrás e que está de acordo com as previsões Maias e Incas sobre uma catástrofe mundial no qual eliminou quase toda a humanidade da Terra.


 Mudança do polo, evidência de uma Mega tisunami foi comprovada por vários cientistas


Paleoclimatologista acredita que uma mudança abrupta do clima 5.200 anos atrás, coincidentemente nos dá uma certeza que algo aconteceu no clima exatamente no final do ciclo do calendário Maia. Essa descoberta pode comprovar que os Maias sabiam exatamente o que estão prevendo para 2012, sendo que é o final do quinto ciclo do calendário Maia. Os maias acreditavam que haveriam mudanças no clima do planeta de forma cíclica, isto é a cada 5.125 anos um novo ciclo.
Os Maias usavam o calendário para prever mudanças no clima e com as mudanças no final de um ciclo, isto é no quinto ciclo, mudanças de clima de forma abrupta e em grande escala, quer dizer em escalas mundias, que destruiriam os homens em todo o planeta. O ciclo continuaria indefinidamente até que o primeiro ciclo iniciaria novamente.
Isso quer dizer que a partir de 2012 mudanças climáticas abruptas como: uma nova era do gelo, com chuvas e tempestades globais, como vistas no filme “O dia depois de Amanhã”, não acredito que seja o fim da humanidade, mas será muito devastador, sendo que uma mudança do polo é uma realidade.
Paleoclimatologista Lonnie Thompson descobriu na base das geleiras da capa de gelo chamada Quelccaya, no Peru, pequenas plantas que através do DNA descobriram ter a idade estimada de 5.200 anos, essas plantas pertenciam a um pântano. Para que houvesse a preservação da planta abaixo da camada de gelo, o clima mudou abruptamente em apenas um dia. Porque não seria possível preservar a planta em toda sua pureza em uma mudança gradual do clima, como acontece em plantações congeladas pelas baixas temperaturas em apenas um dia, isso acontece com frequência no Sul do Brasil. Só que no caso Quelccaya há 5.200 anos, o evento começou e não parou mais, com isso as plantas ficaram preservadas durante 5.200.
Para que haja uma mudança muito rápida e que continue indefinidamente, eles sugerem que houve uma mudança do polo, que onde era o Polo norte virou equador e o equador passou a ser polo Norte, durante 5.200 anos ela voltou para a posição que hoje estamos atualmente.
O cientista Adam Maloof acha que a mudança do polo é gradual e levaria 1 milhão de anos. Ele também comprovou com dados através de amostras de pedras na Noruega e na Austrália comprovam que houve mudanças do polo e que as pedras gravam o polo magnético e assim podem ser comparados com outras amostras e assim fazer um mapa da localização das pedras em uma simulação do polo magnético em computadores.
Não só os Maias testemunharam essas mudanças climáticas, mas em outros manuscritos Hindus há referências sobre uma grande mudança climática na Terra.

 Dilúvio ou elevação dos oceanos?
Quando usamos a palavra “dilúvio” a primeira imagem que vem em nossa mente é a bíblia! Sempre imaginamos que um dilúvio é uma coisa fantasiosa e que nunca poderia ter acontecido. Se você não usar o raciocínio religioso ou fantasioso, apenas científico, você vai descobrir que existem evidências que demonstram que o dilúvio realmente aconteceu, mas teríamos que usar algumas possibilidades científicas para explicá-las e que não são tão difíceis de entender e nem precisamos ser um PHD em geofísica ou climatologia. As respostas estão por todos os lados o que falta é que a ciência realmente levar a sério esse assunto.
Eu cruzei informações, dados científicos e algumas canalizações feitas por humanos mentalizadas pelos Pleiadianos e descobri uma boa notícia de que um novo dilúvio na Terra não aconteceria, mas a má notícia é que haverá uma mudança da atividade solar com consequências para Terra e os outros planetas.
Em primeiro lugar, os defensores que o dilúvio não aconteceu, apontam vários problemas com a visão da bíblia e apresentaram duas negativas: a primeira de que o firmamento não existiu e que a quantidade de água na Terra não era suficiente para inundar toda o planeta e atingir a altura de uma montanha e a segunda de que os dejetos humanos criariam um ambiente insustentável à vida.
Eu uso dados e que estão baseados em algumas suposições tanto dos cientistas como também das evidências deixadas pelos testemunhos históricos como a própria Bíblia, as placas Sumérias, pesquisadores e canalizações de pleiadianos. Não descarto nenhuma informação acho que todos tem um conhecimento da realidade e diferentes pontos de vistas e todos são importantes para minha interpretação, o que eu quero é descobrir é a verdade. Minha busca é descobrir se há ligações entre todas as evidências para que se possa descobrir como tudo isso começou.
O erro na datação por carbono 14.
A medida de tempo que os paleontologistas e arqueólogos usam, parece estar incorreta, porque pelas mensagens extraterrenas, eles tem uma visão bem diferenciada da idade da Terra do que a nossa ciência, e que condiz com a órbita do sistema solar ao redor da estrela Alcione, isto é 25,625 mil anos, e o nascimento das civilizações Maia, Inca e Sumeriana. A bíblia também tem medidas de tempo que são bem precisas e estão de acordo com certas informações e dados dientíficos também.
Desde que foram usadas as datações por carbono 14 certas datas principalmente na Bíblia ficaram incorretas, parece que a ciência menospreza algumas datas que podem estar na Bíblia, sendo que a Bíblia foi baseada nas placas Sumérias teriam também informações precisas sobre o nascimento da humanidade. Veja que a ciência baseia todas as suas pesquisas em cima dos dados do carbono 14 se estiverem errados todas as dados até agora estimados estariam acima da estimativa verdadeira.
O conhecimento dos povos antigos diferem do conhecimento do homem moderno, porque naquela época não existia um tipo de oligarquia científica como a de hoje em dia, todos estudavam com uma certa liberdade e sem uma visão elitizada da ciência, não estou dizendo que a nossa ciência é atrasada, mas que ela não evolui pela dependência de avanços científicos as comprovações científicas, que levam milênios para serem comprovadas que dependem de cientistas como Albert Einstein que nascem de 100 em 100 anos, para destruírem preceitos antigos e obsoletos. Nossa ciência é muito dependente de resultados que comprovem uma teoria como verdadeira.
Eu percebi que as medidas de tempo difundidas pelos livros de história, e também pelos arqueólogos e paleontólogos, estão muito acima da realidade. Eu quero dizer que as pedras de Ica se não forem falsas, poderiam ser o elo que faltava de que os primeiros Incas realmente conviveram com os dinossauros e assim algumas datas estão acima da estimativa.Veja na imagem abaixo que as pedras de Ica realmente são verdadeiras e que foram encontradas em túmulos de cidadãos importantes da cidade Inca.

O circulo mostra uma pedra de Ica em uma tumba recém descoberta em Ica, no Peru.
Vou demonstrar como é possível que as datas da paleontologia e da arqueologia podem estar acima da estimativa.
Hoje, a ciência usa o carbono 14 para fazer as medições de tempo e os próprios cientistas dizem que essa exatidão não é tão exata assim e que a "precisão chega até 60.000 anos somente", e que as outras estimativas poderiam ser apenas hipóteses. Veja que não sou eu quem diz isso, são os próprios cientistas, por aí você imagina quanta falta de precisão podemos esperar tratando-se de animais que viveram milhões de anos atrás.
Bom, eu usei como parâmetro de estudos sobre as extinções durante 500 milhões de anos na Terra (usando as medidas de tempos segundo os paleontologistas e estudiosos), se realmente estão corretas as medições, mas não podemos ter muita certeza, porque dependemos de que os isótopos decaiam seguindo uma determinada periodicidade, senão as estimativas estão erradas.Essa periodicidade é de 5.700 anos.
Minha preocupação é que as medições pela datação do carbono 14, podem aumentar as estimativas em milhões de anos o que aconteceu em apenas em milênios. Na verdade é muito simples: para quem quiser saber como funciona a datação por carbono 14 leia esse artigo no link a seguir, que é bem interessante e prova algumas ideias que eu estou escrevendo nesse artigo: http://ciencia.hsw.uol.com.br/carbono-141.htm
Como a meia-vida do carbono 14 é de 5.700 anos, ela só é confiável para datar objetos de até 60 mil anos. Todos os átomos de carbono 14 tem a mesma característica de decaimento, sendo então possível fazer a datação com outros isotopos, mas a datação de radioisótopos não pode ser feita no futuro por causa dos testes nucleares feitos a céu aberto em nossa era.( Outra vez os próprios cientistas dão um tiro no próprio pé, eu escrevo isso porque as pessoas que defendem a veracidade dos fatos que aconteceram na Bíblia não tem uma visão como eu tenho da ciência eu adoro paleontologia e geofísica.
Então espere um pouco: se um paleontologista no futuro quiser saber sobre um animal morto na era atual não seria possível fazer a datação? Não, não seria, porque as bombas nucleares, testes nucleares causarão mudanças nos cálculos! Então quer dizer que os testes nucleares feitos sobre a superfície pode ter afetado os dados e as datações por carbono 14? A resposta é sim, porque os próprios cientistas dizem isso.
Veja como são as coisas, a ciência confia plenamente em uma datação de carbono 14, ela é tão confiável e precisa, mas se o carbono 14 entrasse em contato com energia nuclear ela mudaria os resultados dos dados?
Nossa que coisa estranha! Então se houvesse uma descarga de raios gama do sol na Terra, todos os dados mudariam? Sim!! Será que a Terra sempre teve Magnetosfera igual de hoje em dia? Não podemos afirmar que tudo é para sempre e que tudo foi sempre igual, é a lei da vida.
Imagine a situação: se todos os dia somos bombardeados por milhões de partículas de radiação cósmica vindas do sol, por que essas partículas não mudariam a datação? Você acha que o solo não absorveria energia nuclear? Só existe energia nuclear produzida pelo homem? O sol não produz energia nuclear então? Os raios solares não podem interferir na datação do carbono 14? Se um raio gama vindo do sol atingisse a Terra, não mudaria a datação do carbono 14?
Veja a quantidade de perguntas que poderiam ser feitas a um cientista e ele nem teria como respondê-las, porque todas elas comprometeriam a teoria da paleontologia de que o carbono 14 é confiável. Pronto, isso termina com qualquer cientista que menospreze o fato de que os dinossauros podem ter convivido com homens, e que as datas são precisas!
A ciência mesmo nos diz que a nossa magnetosfera não impede que todos os raios cósmicos entrem na Terra! A ciência diz que a energia nuclear pode penetrar a Terra. Por que não atingir camadas abaixo do solo, sendo que a água da chuva é ácida e contém partículas radioativas?As camadas de solo podem conter grandes quantidades de radioatividade produzida pelo sol e também produzidas pelo homem. Os dinossauros são encontrados em depósitos sedimentares que podem conter radioatividade solar e humana, mas ninguém diz isso para você, nem o paleontólogo. Sendo assim o material absorveria uma quantidade de radioativida suficiente para perder muito mais isótopos em quantidade superior ou inferior, sendo que poderia aumentar as datas para milhões de anos.
A ciência ensina, mas não entende que o sistema solar está vivo! A Terra como cada partícula em nosso corpo são afetados por raios gamas vindo do sol, não precisa ser em grandes quantidades de raios cósmicos em pequenas quantidades e que mudariam qualquer datação de carbono 14, aumentando as estimativas para milhões de anos. O carbono 14 não deveria ser usado como datação de fósseis porque ele simplesmente, que não é confiável! O que os cientistas não entendem é que a Terra é bombardeada todos os dias por pequenas quantidades de radioatividade. A nossa magnetosfera não consegue segurar todas as partículas!!!


Sabendo de todos esses problemas que podem desonerar a datação do carbono 14 como uma forma precisa de datação, você tem uma visão geral de que os paleontólogos e arqueólogos estão fazendo medições erradas sobre os fósseis na Terra e estimando as datas em milhões de anos sendo que foram em milênios!
As extinções na Terra durante 500 milhões de anos demonstram que seguem uma periodicidade matemática. Um período de mais ou menos 26 milhões de anos. Leia esse artigo para entender melhor: extinções.
Usando o quadro acima é possível perceber que as extinções das espécies, seguem em o ritmo de uma órbita e que poderia significar que as extinções estão correlacionadas com a rotação elíptica do sistema solar ao redor de Alcione que é de 25.625 anos ou com  a precessão da Terra. A minha ideia é reduzir as datas de extinções para um período de 26.000 anos cada uma, sendo que esse período corresponde a órbita ao redor da estrela Alcione. Com isso, o período de evolução das espécies ficaria menor em mais ou menos 1 milhão de anos.
Também a possibilidade de diminuir a constante de decaimento do carbono 14 ou usarmos um fator de redução da vida de um isótopo ou que incluiria a quantidade de exposições à radioatividade do sol sobre a Terra, esses valores poderiam aumentar ou diminuir dependendo de quanto seria a meia vida de um átomo de carbono 14!Essa é uma boa tese de mestrado.
Veja que há uma estranha coincidência, realmente se pensarmos que as estimativas dos paleontólogos estão muito além do que seria, e se trocássemos os milhões por milênios, teríamos um período cíclico de 26.000 anos, veja que coincidência as extinções estariam ligadas a transição planetária e que houve 8 transições até agora!  Seria muita coisa se pensarmos que as estimativas estão erradas e o erro pode ser de milhões de anos e coincidentemente quer dizer que as extinções na Terra teriam uma consequência direta com as precessões dos equinócios previstas pelos Maias e Sumérios.
Veja também que a vida na Terra teria pelo menos 1 milhão de anos e não 500 milhões de anos. O que aconteceria é que as pedras Ica realmente estariam corretas e que o homem conviveu com os dinossauros. E que os dinossauros foram extintos mais ou menos na mesma época em que o dilúvio teria ocorrido.
Quando comecei a pensar sobre isso, eu pensei: “não pode ser”, pois eu sempre estudei sobre dinossauros e conheço todos os problemas técnicos das datações, evoluções e foi quando  comecei a mudar meu modo de pensar sobre esses acontecimentos e sobre a história não revelada ao homem moderno. Eu notei que a vida na Terra evoluiu bem mais rápido do que a ciência estima! Eu só imaginei que as estimativas usando o carbono 14 estariam muito acima da média por que quando eles fazem o cálculo eles usam uma regra matemática simples:
t = [ ln (Nf/No) / (-0,693) ] x t1/2
Nada simples, é um monte de números e letras, mas veja ela reduzida com números e dados:
t = [ln (0,10)/(-0,693)] x 5.700 anos
t = [(-2,303)/(-0,693)] x 5.700 anos
t = [3,323] x 5.700 anos
t = 18.940 anos de idade
Tudo bem, mas para eles chegarem a resposta acima eles teriam que usar um coeficiente que geralmente é uma constante. Bom, todo mundo sabe o que é uma constante: é um valor que não muda, que se mantem igual o todo tempo!Existem outras constantes que podem ser usadas nesse cálculo, mas o que importa é a meia vida do carbono 14(5.700)
A constante na equação é: t1/2 é a meia-vida do carbono 14 (5.700 anos). Esse valor não muda na equação por ele ser um valor quase preciso, porque quando um ser vivo morre e é enterrado, ele não consegue mais manter a mesma quantidade de carbonos 14, então os isótopos começam decair, sempre numa taxa constante.
O que falta nessa equação é um fator muito importante que está relacionado a quantidade de raios gamas recebidos pela Terra, a quantidade de radioatividade produzida pelo homem, qualquer que seja a quantidade de mudanças atômicas durante todo o tempo da morte até a descoberta do fóssil, até mesmo os efeitos de testes nucleares sobre a Terra e é claro que isso não pode ser feito, porque nunca foi pensado.Espero que um dia algum cientista use essa idéia para relamente desmantelar essa oligarquia científica.
Essas pesquisas sobre carbono 14 foram feitas depois de 40 anos dos testes nucleares em todo o mundo, então devemos supor que muitos fósseis podem ter recebido radioatividade produzida pelo homem, sendo que a radioatividade também penetra nos sedimentos, principalmente os sedimentos que estão expostos e que geralmente são usados para a datação. Não devemos esquecer que as radioatividade solar é também um causador de mudanças nas estruturas atômicas da Terra. Muitos fósseis estão expostos a radioatividade, principalmente em países que dominam a tecnologia nuclear.
Mais uma possibilidade é que a maioria das partículas que ultrapassam a atmosfera, estão na estratosfera e podem precipitar em forma de chuva, e todos nós sabemos que os fósseis são preservados pelo depósito de lama e água sobre os ossos dos dinossauros.
Bom, qualquer método de datação direta e indiretamente sempre usarão características baseadas na datação por potássio-argônio radioativo, que também podem sofrer transformações durante milhões de anos, mesmo assim acredito que as medições podem estar corretas, mas que podem estar sendo elevadas por algum efeito extra nas medições quânticas dos átomos. As altas estimativas de milhões de anos para trás podem estar muito elevadas e que não estariam condizendo com a realidade. Principalmente pelo fato de que a radioatividade na Terra poderia ser maior milhões de anos atrás e variar durante milhões de anos. E também outro fato interessante é que o carbono 14 poderia perder muitos mais átomos durante uma certa época e  menor quantidade em outras, dependendo das estruturas geofísicas da Terra.
O que é impossível de prever ou até de estimar, mas acredito que a ciência irá descobrir que o nosso sol tem uma participação na equação. Porque nenhum sistema de medição deve ser omitido e que pode causar certa imprecisão nos dados e o aumento da idade de um fóssil.
A constante na equação pode ser alterada por uma mudança no valor da taxa que os isótopos decaem. Essa taxa pode aumentar muito e aumentar e as estimativas subirem para milhões de anos. Eu cheguei a pensar que a taxa deveria diminuir com o tempo e não aumentar, utilizando uma variável especial. Essa taxa estaria correlacionada com a física quântica, valores mais precisos sobre o decaimento dos átomos de carbono 14, poderia não ser a mesma durante todo o processo em que o ser vivo ficou enterrado. Por exemplo: se houve uma alteração de raios gamas ou uma grande quantidade de radiação solar na Terra durante a época dos dinossauros os níveis de perda de isótopos aumentariam empurrando as estimativas para milhões de anos! Percebeu como é difícil estarem corretas as medições.


Eu fiz um estudo e encontrei uma solução, porque essa taxa está relacionada com a pulsação da galáxia durante a evolução da Terra. Sendo que cada pulsação alterou a taxa de decadência dos isótopos gerando uma discrepância nos resultados. Essa alteração na taxa pode estar relacionada com altas ou pequenas quantidades de raios gamas enviados pelas explosões no centro da galáxia e que teriam mudanças em termos quânticos e não físicos na vida da Terra. Essas mudanças quânticas poderiam ser de 5.125 anos e não de 5.700 anos na decadência dos átomos de carbono 14! Veja que coincidência absurda! A taxa de decadência é quase igual a pulsação da galáxia de 5,125 anos, não é maravilhoso isso!Veja os Maias eram muito inteligentes e suas previsões estão mostrando que o universo é que comanda a vida na galáxia.O que isso representa também é que eles foram ensinados pelos extraterrenos que vivam naquela época, eles ensinaram Mecânica Quântica para os Maias. Sendo que a luz da galáxia mudaria o decaimento do carbono 14 é uma solução quântica.
É claro que o nosso sol durante milhões de anos pode ter aumentado a incidência de luz solar e assim alterado os dados, veja na ilustração abaixo a demonstração de como funciona a datação do carbono 14 e quem é responsável por essas mudanças: o nosso sol!Veja que as mudanças são quânticas e não físicas.
Veja como o sol é responsável pela datação do carbono 14, e um tiro no pé dos paleonólogos.


Os raios cósmicos são responsáveis pela criação dos átomos de carbono 14 e que a quantidade de carbono 14 é sempre constante, porque os átomos estão sempre decaindo e são substituídos por outros átomos de carbono 14, somente depois da morte do ser vivo ou da madeira serem enterrados é que a taxa de criação de carbono 14 não é mais constante, ela decai em 5.700 anos. Veja que se o Sol aumentou ou diminuiu de reações nucleares uma maior quantidade de radiação enviada pelo Sol não seria sempre a mesma, poderia variar de acordo com a proximidade do centro da galáxia. O que os cientistas são irredutíveis é que o centro da galáxia nao afeta a Terra, será? Como? Se nós estamos girando ao redor dela? Não pode ser verdade, pensem como isso é ridículo!

Transições planetárias sempre aconteceram.
Todas essa evidências nos dizem que as transições planetárias sempre aconteceram na Terra e os Maias e Incas estavam corretos! Guardadas as devidas proporções, eles não tinham a tecnologia que hoje o homem dispõe para efetuar testes com carbono 14, mas que viveram pelo menos uma dessas transições. As transições foram evoluções da vida na Terra e não extinções, cientistas usam extinções, porque faltam dados como mudanças evolutivas em espécies que viveram e logo desaparecem, mas isso quer dizer evolução e não extinção.
Você pode ficar chocado com o que eu vou escrever agora, mas é a lógica, não existiram extinções somente poucas espécies é que realmente desapareceram, mas a maioria continua evoluindo, como os dinossauros eles evoluíram para os pássaros e assim outras espécies. Acredito que várias espécies que continuaram eram necessárias para a sobrevivência da vida. Alguns menos necessários foram extintos, ou talvez que não se sustentavam genéticamente até pela destruição do homem, que é o único capaz de destruir espécies.
O que me deixa realmente desconfiado com a datação de carbono 14 é que os próprios cientistas divergem sobre a exatidão dos resultados, até em objetos mais recentes como o sudário de Turim. Houve várias datações e nenhuma com uma data que poderia realmente dizer se o manto que cobriu Jesus era falso ou verdadeiro. E foi conseguida indiretamente, usaram outros artifícios para conseguir melhores resultados. E ainda continuam com duvidas! Veja como é difícil datar alguma coisa e imagine algo muito mais velho como um osso de dinossauro.
Eu não estou usando dados bobos ou falsos porque a maioria dos dados são de civilizações que viveram há 6.000 anos atrás, e que nos surpreendem com suas previsões e a tremenda precisão. Veja que as extinções são muito periódicas e representam uma órbita. Os Maias dizem em suas profecias que o centro da galáxia Hunab ku, pulsa a cada 5.125 anos e que uma pulsação aconteceu em 3.113 anos atrás. Veja que interessante o pulso passa pela Terra como uma faca passa pela manteiga, ela atravessaria a Terra afetando e decaindo os atomos de carbono 14 fazendo com que as estimativas fiquem acima do esperado. Então o decaimento está quase correto, mas o efeito é que os dados mostrariam que houve uma única extinção, que causou a evolução dos dinossauros em aves. Sendo que o pulso da galáxia criou as estinções e que seria uma pulsação de 26 mil anos e não de 26 milhões  de anos.
Eu tenho uma outra ideia através de minha intuição é que não houve realmente 7 ou 8 extinções e sim 7 ou 8 evoluções, e que a datação está apontando pra a pulsação da galáxia. Houve  7  pulsações da galáxia ou transições planetárias durante a vida da Terra. Então isso comprovaria as pesquisas dos Sumérios, dos Incas e dos Maias.A pulsação da galáxia ou uma tremenda descarga de raios gamas vindo do centro da galáxia destruiu uma grande quantidade de isotopos, mais do que normalmente aconteceria, fazendo com que a datação aumentasse as estimativas para milhões de anos, veja como é muito simples.
Veja no gráfico os picos de abumdãncia de vida na superfície aumentou e diminuiu durante 500 milhões de anos, os picos são de 26 milhões cada um, diminuindo para 26.000 seria equivalente a mesma órbita do sistema solar ou a precessão do equinócio da Terra. Só nesse gráfico houve 6 extinções, isso quer dizer que 6

Logo após, alguns sobreviventes dessas antigas civilizações: os Atlantes que sobreviveram ao dilúvio, deram origem a civilização Maia e Inca na América do Sul, Outros fundaram a civilização dos Sumérios que também sobreviveram ao dilúvio de Noé. A maioria das civilizações começaram a emergir a partir do ano 3.000 A.c.
O ano de 3.113 marcou também o aparecimento do deus Quetzalcóatl para os Maias ele desceu dos céus e presenteou-lhes com o calendário Maia. Quetzalcóatl é composto de duas palavras: quetzal, que é uma ave de formosa plumagem que habita a selva centro-americana e cóatl, "serpente" e é usualmente traduzida como "Serpente Emplumada", "Pássaro Serpente", ou "Pássaro Serpente da Guerra". Também representando a força Kundalini.
Quem foi realmente Quetzalcóatl: foi Marduk, filho de Enki engenheiro geneticista Anunnaki. Marduk, sempre teve espírito guerreiro e foi ele o responsável pelo afundamento da Atlântida e causador do dilúvio de Noé. Marduk era um híbrido reptiliano/humano ou Anunnaki, suas características físicas era de um reptiliano e por isso foi chamado de deus Quetzalcóatl, o deus serpente. Marduk sempre sentiu-se como um deus e era ardiloso como uma cobra, Quetzalcóatl era um nome que ele gostava. Marduk ensinou aos Maias os segredos da Kundalini e também o da geometria sagrada como a arte da cosmologia e os segredos que hoje os Illuminatis usam.
Quando Marduk fundou a civilização Maia a intenção era fazer o mesmo quando estava na Atlântida, mas acredito que Marduk aprendeu com o resultado de suas investidas para dominar a Terra, mas nunca desistiu dessa possibilidade. Marduk, não gostava de se aparecer como muitos deuses da época ele gostava de trabalhar escondido, quase sempre se apresentava como um deus, mas dessa vez ele preferiu viver somente sua divindade Quetzalcóatl.
Logo depois do dilúvio de Noé, muitos foram os sobreviventes e várias cidades reconstruídas e a população novamente cresceu e fundou novas civilizações em todo o mundo.

O dilúvio evidências
Com esse pequeno resumo é possível localizar o dilúvio de Noé em um ano específico e que pode ser comprovado através de alguns dados e cálculos. Houve um eclipse lunar em 2.138 a.C. e em 2.238 a.C., e o cometa Hale-Bopp passou pelo sistema solar. De acordo com os cálculos recentes feitos por astrônomos, (Daniel W.E. Green of the Harvard-Smithsonian Center for Astrophysics), da orbita deste mesmo cometa que hoje chamamos de Hale-Bopp passou pelo sistema solar interior uma vez antes - cerca de 4.210 anos atrás. O Dilúvio começou 1656 anos depois de Adão, no outono do ano que conhecemos como 2238 a C. Que era 4.234 anos atrás. Veja que várias coincidências aconteceram na mesma época como a passagem do cometa Hale-Bopp, um eclipse lunar e agora o dilúvio de Noé.
O dilúvio aconteceu 4.234 anos e levou 1.124 anos para a Terra reconstruir-se. Um tempo rasoável para que a população sobrevivente organizarem-se em novas civilizações.
O firmamento
Os pleiadianos em mensagens canalizadas dizem que a água do dilúvio estava localizada no firmamento, que os antigos acreditavam ser a abóboda celestial. Você acha que poderia existir um firmamento? Será que existem planetas com firmamento? Sim, existem e a ciência esconde de você, por ignorância ou falta de conhecimento e até interpretação do Gênesis, leiam a seguir o que é o firmamento e logo após e vou mostrar as evidência de firmamento em outros planetas.
“No princípio, Deus criou o céu e a terra. A terra era sem forma e vazia, e havia trevas sobre a face do abismo, e o Espírito de Deus pairava sobre a face das águas. E Deus disse: "Haja luz" e houve luz. E Deus viu que a luz era boa, e Deus separou a luz das trevas. Deus chamou à luz Dia e às trevas chamou Noite. E foi a tarde e a manhã, um dia. E disse Deus: "Haja um firmamento no meio das águas, e haja separação entre águas e águas." E Deus fez o firmamento e separou as águas que estavam debaixo do firmamento das águas que estavam acima do firmamento. E assim foi. E chamou Deus à expansão Céus. E foi a tarde e a manhã, o dia segundo.”
Veja, que o Gênesis explica sem detalhes o que é um firmamento e como funciona o firmamento. Seria o mesmo processo que envolve a água em forma de vapor como nós podemos comprovar no Planeta Vênus hoje em dia.
Veja na imagem abaixo um diagrama de como funciona um firmamento que existe em Vênus. A Terra também tinha um firmamento antes do dilúvio e caiu por causa das manobras dos Atlantes em dominar o mundo.


É, você nem imagina como tem muitas informações para serem reveladas.
O planeta Vênus também tem um firmamento igual a terra há 5.125 anos atrás. Como funciona o firmamento de Vênus: o calor da superfície é tão forte que a água da chuva evapora antes de tocar o solo, sendo assim ela volta como vapor de água para a extratosfera nunca caindo na superfície para formar um oceano. Veja que eu estou dando uma prova de que é verdadeira as afirmações dos cosmologistas da antiguidade sobre o firmamento. Vênus é a prova da realidade do firmamento e que a Terra também possuia um firmamento! Pergunte a qualquer cientista que conheça as características do planeta Vênus e verá que o planeta tem uma camada de água na estratosfera e que funciona como um firmamento. O firmamento de Vênus é tão compacto que não conseguimos ver sua superfície. Os antigos também dizem que ele era como uma camada rígida, mas a ciência não consegue compreender o modo de falar dos antigos e que confundem as pessoas de um modo generalizado, quase sempre falam de uma forma mais poética e menos científica, não quer dizer que são ignorantes!
Eu não gosto de dizer isso, mas tem horas que eu tenho que dizer, para abrir os olhos das pessoas, mas a ciência ou é tão cega que não consegue enxergar a realidade na frente do nariz!

Esse é Vênus com seu firmamento, veja como é bem espesso a quantidade de nuvens e isso é firmamento! A água está aí em forma de gases é quase tão espessa como um oceano. Ué ninguém falou para você que isso é firmamento, então está na hora de mudar seus preceitos!(rs...rs)

A Terra como Vênus tinha um firmamento e que impedia de vermos o céu com clareza, somente depois do dilúvio o céu pode ser visto com clareza. Esse firmamento funcionava como uma segunda atmosfera da Terra e o calor embaixo era insuportável. A Terra era coberta por nuvens espessas do mesmo modo que em Vênus. O calor era muito forte devido ao efeito estufa. Os dinossauros e répteis dominavam todo o planeta pois é essa a forma ideal para eles.
Os répteis e *dragões sempre foram donos da Terra e tornaram-se as raças mais predadoras do planeta. Porque o mito da criação reptiliana, dizia: “onde houvesse um planeta habitável era direito deles colonizarem e destruírem qualquer raça que ali existisse”. Os répteis sempre foram donos da Terra desde o primórdio antes dos homens, eles já existiam e que o homem é descendente de reptilianos da Terra, não adianta espernear! Leia meu artigo: Extraterrenos Greys ou reptilianos descendentes dos dinossauros? Eu não quero empurrar que as palavras da bíblia, não é isso, mas que o dilúvio pode ser comprovado como um acontecimento verdadeiro.
Porque aconteceu o dilúvio.
Marduk trabalhava com os Atlantes e juntos criaram uma arma muito poderosa que seria usada com um cristal gigante muito duro e raro e com algumas tecnologias Anunnaki, o poder da arma era inigualável (pode ser a mesma arma que Hitler queria para ganhar a guerra no final da II Guerra Mundial). A arma era capaz de atrair corpos gigantescos que orbitavam no cinturão de asteróides depois da órbita de Marte. Então, Marduk queria com esse poder intimidar as outras civilizações e dominá-las, essa parte da história só poderia ser contada através das placas sumerianas e através de canalizações entre Pleiadianos e terráqueos. Marduk e os Atlantes também tinham problemas com os dinossauros, e essa foi um motivo pelo qual os Atlantes e algumas civilizações queriam destruí-los. Foram usadas armas nucleares para que os dinossauros fossem destruídos, mas isso tornou-se ruim pois destruíram humanos e dinossauros!
Marduk conseguiu destruir algumas cidades usando o poder de atrair os asteróides para a Terra. Muitas cidades Lemurianas foram destruidas por armas nucleares e asteróides através dessa arma poderosa. E um dos asteróides foi o mesmo que caiu em Yucatã, que supostamente extinguiu os dinossauros. Os Atlantes também eram contra os dinossauros. Os lemurianos temendo novos ataques resolveram construir suas cidades em subterrâneos, para evitar os ataques dos Atlantes, dos répteis e dos dinossauros. Acredito que os Atlantes, os Incas realmente destruiram os dinossauros com a mesma arma que Marduk deu a eles, foi uma história contada nas pedras de Ica.
Os dinossauros foram extintos ou evoluíram?

Eu pensei na possibilidade de que os dinossauros gigantes foram extintos pelo asteróide que caiu na Terra, mas os pequenos, não foram mortos, evoluíram para as aves e o dilúvio foi um pulo para a evolução das aves.
Como expliquei no artigo sobre a relação entre os dinossauros e os alienígenas, que os dinossauros evoluíram devido ao acontecimento do dilúvio por causa que eles não sabiam nadar, a intenção é mostrar que os dinossauros na necessidade de evoluir e sair das águas desenvolveram as asas.
No acontecimento do dilúvio boa parte das a terras secas ficaram inundadas e a necessidade de sobreviver cria a evolução, precisa haver uma mudança drástica no meio hambiente para que haja a evolução, mudanças de hábitos levam a evolução. Veja no gráfico abaixo que o nível do mar elevou muito durante o período da extinção K-T do Cretaceos em comparação ao nível de hoje, esse gráfico não foi feito por mim, ele serve de base para os cientistas e paleontologistas, para localizar o eventos com mais clareza. Olha, o dilúvio aí gente! Veja que houve dois picos de nível do mar acima ou muito além do normal!! Veja que aqui que a verdade começa a aparecer.
Nesse gráfico você pode perceber que o dilúvio realmente aconteceu, e de acorodo com os cientistas e paleontoólogos durou 100 milhões de anos, mas se você imaginar que essa estatística pode estar acima da realidade , porque a datação pode estar comprometida.


Enki, sabia que um dia iria acontecer uma desgraça e que realmente Marduk teria a arma capaz de atrair um grande asteróide em direção de colisão com a Terra. Para provar seu poder Marduk mandou que os Atlantes atraíssem um enorme asteróide em direção a Terra. Enki sabendo das intenções de Marduk resolveu preparar seu pupilo e também um versado nos aprendizados de Enki: seu nome era Noé. Por que sei que Noé era um Anunnaki? Simples, pela idade dele: ele tinha 950 anos! Os Anunnakis tem uma capacidade de regeneração de células diferente do ser humano, porque eles usam a kundalini, engenharia genética e a sexualidade para rejuvenescimento. Com isso podem viver por mais de 900 anos.
Enki sabia por estudos de seus cientistas que o firmamento da Terra não aguentaria, devido a força gravitacional da arma de Marduk, e que o firmamento cairia completamente causando inundação de toda as terras.
Foi então que Noé recebeu a incumbência de levantar a arca e salvar todos os animais que Enki havia criado com a ajuda dos Nibiruanos. Enki veria todo seu trabalho de construção da Terra e dos seres humanos crísticos, quase 100 mil anos de trabalhos perdidos, por causa da impetuosa mania de domínio de seu filho Marduk. Enki então voltou para Nibiru e Anu resolveu com seu conselho que seria o fim dos seres humanos criados por eles, mas junto com eles os répteis e os Atlantes também morreriam. Porque Anu mandou que a Nave-planeta Nibiru fisesse uma órbita mais próxima da Terra para acabar de vez com seus habitantes em um cataclisma que seria uma onda gigante, causada por uma maré gigantesca, que é a força que nós já conhecemos e faz parte de nosso dia a dia.



O firmamento não aguentou as tentativas dos Atlantes e Marduk, cederam o firmamento e a água que estava no firmamento veio abaixo em uma a chuva que durou 40 dias e 40 noites como está escrito na bíblia, o suficiente para inundar tudo, mas com a proximação do planeta Nibiru com a Terra, uma maré gigantesca circulou a Terra com uma mega Tsunami  e foi assim que o dilúvio aconteceu.
Marduk havia preparado um grande asteróide para cair na Terra, mas quando Nibiru chegou perto da planeta Terra, o raio que segurava um asteróide no espaço, foi cortado e assim o asteróide caiu em direção de Atlântida afundando e destruindo todas as cidades, ao mesmo tempo que o dilúvio aconteceu. Quando o asteróide caiu sobre Atlântida causou uma Tsunami gigantesca, quecirculou todo o planeta. Perceba um fato que os paleontólogos não explicam: se realmente um asteróide caiu em Yucatã, no mar, uma tisunami gigantesca deve ter rodeado todo o planeta! Não vejo essa característica evidente em nehum dados da paleontologia, está faltando uma tsunami quando caiu o asteróide, e esse seria um evento que poderia elevar o mar a uma altura muito alta, dependendo do tamanho do asteróide.
Também o que explica que muitas espécies arvores chamdas Sequoias gigantes só apareceram depois de 3.000 anos  na Califórnia sendo que boa parte delas foram extintas em outras localidades dos EUA.
Também a característica de que somente os animais como os mamíferos e pequenos répteis sobreviveram. Mas eu descobri que isso não é verdade que mamíferos  gigantes e aves gigantes, provavelmente descendentes de dinossauros. A extinção foi bem classificatória e escolheu os dinossauros como vítimas por que será?


Outra possibilidade para a altura das águas é muito mais simples do que a presença de Nibiru, sendo que até agora não conseguimos informações sobre esse planeta, uma ideia interessante é que quando Marduk ussou a arma de atração gravitacional, poderia trazer um asteróide em direção à Terra, como também a própria Lua ou outro asteróide que estaria por perto, a presença da Lua aumentaria o efeito de maré intensificando para uma maré gigante que circundaria a Terra durante um certo tempo e que poderia ter matado toda a humanidade e também o fim da Atlântida e da Lemúria.
No caso do planeta Nibiru seria muito mais possível sendo que o planeta seria muito maior que a Terra e a simples presença no sistema solar seria capaz de criar uma maré gigantesca veja no vídeo que eu fiz sobre a presença de Nibiru, e a possível maré que poderia ser global e podendo chegar até alturas jamais vistas pela humanidade. A prensença de qualquer planeta causa maré, principalmente um planeta muito grande como Nibiru.
Logo após o afundamento de Atlântida, Nibiru saiu da órbita da Terra e a maré gigante que durou 1 ano foi-se normalizando aos níveis de hoje. Veja, com a maré gigante é possível elevar o mar até as proporções de uma montanha porque a maré é uma lei da física e pode muito bem ter acontecido de acordo com a Bíblia.
Muitos céticos colocam que pelo fato de que muitas mortes ocorreram na Terra, o cheiro de podridão e doenças infecciosas matariam Noé e sua família. A explicação também é bem simples. Quando acontece um dilúvio dessas proporções todos os dejetos de animais desapareceram embaixo da lama levada pelas águas e hoje estão sendo encontrados pelos paleontólogos.
Muitas cidades que desapareceram estão sobre terras e lamas ainda a serem descobertas. Outras ideias referente a esqueletos humanos mais velhos ainda não foram encontrados, mas podem ser encontrados, sendo que várias trilhas de dinossauros com pegadas humanas já foram encontradas vejam nesse site: (http://www.bible.ca/tracks/tracks.htm)
Acredito que houve a maré gigante que também explicaria porque a água subiu até as montanhas e depois os oceanos voltaram ao normal durante os 1.124 anos. Sendo que Nibiru saiu da órbita da Terra e voltou para sua órbita natural.
É muito simples explicar: quando Marduk usou a arma de atração, o efeito poderia ter influênciado vários objetos celestes muito grandes e que foram atraídos para uma órbita próxima da Terra, causando o efeito que nós conhecemos que afeta as marés que é causado pela presença do sol e da lua. Esse efeito de maré gigante aumentaria o poder das marés aumentando a altura em que o mar poderia subir. Esse é o único jeito para explicar que as águas atingissem a altura de uma montanha. Veja que essa explicação poderia e resolver o afundamento da Atlântida sem necessidade de que ela fosse implodida. Com essa ideia é possível explicar a cidade encontrada no fundo do mar perto do Japão.(Yunaguni)
A maré gigante que atingiria a altura de uma montanha, até a aproximação da Lua não poderia ter sido descartada, pois o efeito seria desastroso e que causaria uma onda gigantesca que cobriu as terras secas e elevando os oceanos na altura de uma montanha. Esse efeito poderia ser causado por um asteróide maior ou do tamanho da Lua.
Os pleiadianos dizem que a Terra por um certo tempo teve duas luas.Eu achei uma prova que pode contribuir para demonstrar que houve um tempo que a Terra tinha duas luas e que giravam no céu por um longo tempo e depois se desprendeu da Terra, o *disco de Nebra.


Esse é o disco de Nebra, a única representação do firmamento logo após o dilúvio, mais ou menos 2.100 A.c.
Disco de Nebra é representação de Nibiru ou uma segunda Lua  nos céus 3600 anos atrás?

Uma placa em bronze e ouro que supostamente foi construída para representação de fenômenos astronômicos e religiosos. É considerada como a mais antiga representação objectiva do firmamento (abóbada celeste) e, consequentemente, um dos achados arqueológicos mais significativos da nossa época. Você sabe que eu adoro coincidências, então quando eu encontrei essa placa eu fiquei rindo sozinho e vou explicar porque.
Eu sou meio chato quanto a imagens do passado e até com algumas interpretações que os arqueólogos dão para algumas placas e monumentos, sempre o óbvio ou alguma coisa que não condiz com a realidade. Os antigos artístas não eram tão ingênuos a ponto de colocar na mesma representação duas luas, a lua cheia e a lua em quarto crescente. Até a ideia de um sol a noite com uma noite estrelada seria bem ridícula! Existe uma explicação muito mais criativa e oportuna.
Como essa placa é da idade do bronze imaginei que poderia ter alguma ligação com Nibiru ou Elenin. Eu sei que Nibiru existe, então quando vi esse disco, logo intui que a imagem central não é o Sol nem a lua quarto crescente, mas Nibiru ou Elenin.Veja que coincidência: essa é a mais antiga representação do firmamento, a abóboda celeste de nada mais nada menos que anterior ou exatamente na época da aparição em que  Nibiru ou Elenin surgiu nos céus da Terra!
Eu começo me perguntado: por quê alguém faria uma representação do Sol ou da lua sem nenhum significado mais importante?
Eu descartei ser a representação do sol, não é o sol. A lua cheia e a lua quarto crescente na mesma noite seria maluquice, então eu imaginei que naquela noite era possível ver o planeta Nibiru ou uma outra Lua, com a visão das plêiades, não parece uma coisa impossível para uma representação objetiva do firmamento, não é!
Aqueles dois arcos, um do lado direito e outro do lado esquerdo (que está faltando na representação) é a representação dos Arcos do Horizonte e a " barca solar” logo abaixo do circulo grande (Nibiru?Elenin).
Bom, por que eu coloquei o nome de barca solar? Por causa da barca solar que existe na mitologia egípcia de um navio onde viajavam os deuses. Naquela época eles usavam essa mesma representação, que representava as idas e vindas dos deuses. Nibiru é uma “barca dos deuses”, o planeta viajante, o planeta “chupão”.
A representação pode ser lida assim: “A barca dos deuses (Nibiru) chegou no alinhamento com a constelação das plêiades no eclipse lunar.” Essa imagem não é de um eclipse solar é de um "eclipse lunar" onde a Terra faz sombra na Lua.
Por que? No caso específico do eclipse lunar é possível ver as estrelas no céu!
Você pode iamginar outras ideias, mas de acordo com os pleiadianos, a Terra teve duas Luas no passado.

Acredito que há possobilidades de ser Nibiru porque foi um acontecimento muito importante da época, mas o que é mais interessante na imagem da representação do céu daquela época é o objeto no centro ao lado da lua e da constelação de plêiades. Por quê um desenhista colocaria duas luas no mesmo espaço sendo que é uma representação da abóboda celestial?

A força atrativa da arma de Marduk atraiu esse asteróide ou Lua que estava nas imediações do cinturão de asteróides e a Terra com seu poder de atração pode ter segurado por algum tempo, mas atração do sol foi mais forte mudando a direção da órbita do asteróide e empurrando para outra órbita. Acredito que esta lua que ficou por algum tempo pode ser Plutão ou pode ser o planeta “Marduk”, o mesmo nome do filho/neto de Enki. (Marduk era filho/neto de Enki era uma mania dos Anunnaki de casarem-se entre eles, a mesma mania dos Egípcios e alguns reis da Terra.Veja bem que essa é uma evidência de que os Anunnakis influenciaram as oligarquias no mundo. Marduk é também o deus Quetzcoatl do povo Maia, o deus reptiliano com asas de pássaro, um anunnaki!)

A arma de Marduk era muito poderosa e a atração poderia trazer grandes asteróides e Plutão não é um planeta como todos imaginam, mas uma lua que estava perto da Tiamat(o nome da Terra antes da colisão com Marduk(Coincidentemente o nome desse planeta é Marduk) uma lua ou planeta que vagava pelo sistema solar. Os pedaços de Tiamat pode ser Hiperion uma lua de Saturno, evidências mostram que Saturno capturou essa lua há muito tempo atrás. Pluto é uma lua e não um planetóide, ele só é considerado planetoide porque a ciência ainda não entende o que é lua ou planeta. Os pleiadianos dizem que a Terra tinha duas luas, pode ser que plutão fosse uma lua da Terra no passado e chocou-se com a Terra e a partir desse choque mudou sua trajetória ao redor do sol. A órbita de Plutão é tão exêntrica que em alguns milhares de anos irá sair do sistema solar.
“Uma definição simples: planetas tem um centro ativo ou e ele gera automaticamente um campo gravitacional suficiente para gerar atmosfera e atividade vulcânica. Uma lua é um asteroide morto que não tem um centro gravitacional massivo suficientemente forte para gerar uma atmosfera ou atividade vulcânica.”
Não é porque ele gira ao redor do sol que ele é um planetóide. Planetas são capazes de manter atmosfera e tem um núcleo ativo ou que possa ser ativado. Se Marte pode manter uma atmosfera é que ele tem um núcleo ativo ou parcialmente ativo. A ciência ainda está muito atrasada em relação a cosmologia e trabalham bem lentamente seguindo comprovações que levam anos, a imaginação e intuição são mais proveitosas e podem ir mais longe. Não sei se podem ser reais, mas apresentam muito mais realismo.


*Para minha sorte eu achei uma prova dessa possibilidade e que foi encontrada em escavações em uma cidade n a alemanha e é conhecida como: disco de Nebra, é uma placa em bronze e ouro que supostamente foi construída para representação de fenômenos astronômicos e religiosos. É considerada como a mais antiga representação objectiva do firmamento (abóbada celeste) e, consequentemente, um dos achados arqueológicos mais significativos da nossa época. Você sabe que eu adoro coincidências, então quando eu encontrei essa placa eu fiquei rindo atoa e vou explicar porque.
Eu sou meio chato quanto as imagens do passado e até com algumas interpretações que os cientistas dão para algumas placas e monumentos, sempre o óbvio ou alguma coisa estranha que eles explicam e que na lógica não funciona. Os antigos não eram tão ingênuos a ponto de colocar na mesma representação duas luas a lua cheia e a lua em quarto crescente. Até a ideia de sol à noite com uma noite estrelada seria bem ridícula. Foi então que eu descobri essa é a primeira representação das duas luas da Terra! Acredite se quiser!
Esse disco foi feito de acordo com as datações, entre 2.100 e 1.600 a.C. que é exatamente a era do dilúvio de Noé, foi manufaturado entre 4.112 e 3.640 anos atrás! Veja então tudo está se encaixando de uma forma precisa. É claro que temos que intuir, porque não existe uma prova conclusiva sobre isso, mas não quero cair nesse golpe do racicínio lógico, porque a lógica nos leva de volta ao tempo quando os homens ainda acreditavam que o sol girava ao redor da Terra.Não estou falando dos Maias e Sumérios que já sabiam que a Terra girava em torno do Sol.
Bom, o que me chamou a atenção foi que os pleiadianos dizem muitas coisas sobre os dinossauros que viviam antes do dilúvio e que seriam um problema para as raças humanas que viviam no momento na Terra antes do dilúvio.
Todas as civilizações de forma unanime escreveram ou gravaram em petroglifos sobre o dilúvio de noé, nomes diferentes, mas a mesma história. Nas placas dos Sumérios e Incas de acordo com as traduções de Zecharia Stitchin, que o dilúvio foi causado pela aproximação de Nibiru. Conclui que Nibiru não causou a destruição da Terra, mas as tentativas de Marduk em atrair os asteróides para conseguir dominar a Terra com sua arma MES
.
Os répteis dominaram a Terra.
Várias raças viveram na Terra na época dos dinossauros : os Lemurianos, Yus (os Orientais), os Atlantes(raça vermelha). Todos eram de pele branca, a diferença da cor da pele foi uma exigência das respectivas raças para poderem melhorar seu desenpenho nos climas das terras que escolheram viver. Assim os DNAs foram alterados pelos Felinos, os Felinos são a raça criadora do ser humano e os primeiros engenheiros genéticos antes dos Anunnakis(Nibiruanos). A raça negra foi a raça que deu origem ao homo sapiens, a partir dos primatas humanos.
Nessa época os répteis que sobreviveram a destruição de Tiamat continuaram a evoluir e tornaram-se inimigos dos homens e um período de perseguição a todos os homens teve início. Mas as elites terrenas e Nibiruanas achavam que teriam que acabar com os répteis pela segunda vez, para que a evolução humana Terra continuasse. A guerra e a perseguição dos dinossauros aos homens estava fazendo com que a vida na superfície fosse muito difícil, todas as raças queriam o fim dos dinossauros.
Marduk estava procurando a dominação de uma tecnologia com cristais que dava poderes incríveis a quem a possuisse, essa tecnologia chamava-se: MES, com isso Marduk exterminaria os répteis e assim conseguir a ajuda dos Atlantes para conseguir o domínio da Terra. Então o comandante Anu resolveu destruir a Terra mesmo que destruisse todos os seres crísticos que estavam evoluindo na Terra. Na verdade Nibiru não conseguiu porque antes da tentativa de aproximar o planeta da órbita da Terra, ocorreu a queda do firmamento, mas a proximidade de Nibiru pode ter complicado a situação ainda mais, porque a presença de um corpo celeste aumentaria o efeito de gravidade sobre a Terra, criando uma maré gigante que encobriria as montanhas. Essa é uma explicação possível para o evento do dilúvio, sem a presença de uma lua extra.
Nessa animação uma aproximação de Nibiru poderia causar uma Mega Tisunami com consequências globais.
Mas Anu não sabia dos planos de Enki que era ajudar Noé a construir um submarino(arca) e ser o único sobrevivente.Quando voltou à Terra constatou que as cidades estavam erguidas novamente  e os répteis finalmente destruídos.

Cientistas descobrem Arca de Noé no monte Ararate

Cientistas chineses e que não estão ligados a comunidade científica descobrem o que seria uma relíquia sagrada, a Arca de Noé. Assista ao filme e veja algumas fotos da descoberta.Veja que esses cientistas são considerados pseudos cientistas pela comunidade científica. Que as descobertas não tem respaldo científico de "credibilidade". Mas, a Arca sempre esteve lá, porque a ciência não achou?
O que será que passa na cabeça de um cientista sendo que a Bíblia é uma testemunha do passado da humanidade e não pode dar um testemunho científico? Por que o dilúvio não pode ter acontecido? Eu dei várias ideias de que é possivel o dilúvio e várias evidências em em todas as civilizações.

A madeira foi analizada em carbono 14 que é o colírio dos arqueologistas datada de 4.800 anos atrás, coincidentemente a data aproximada do dilúvio.

A altura da arca e os compartimentos.





A localização da Arca no monte Ararate.
O que me deixa confiante de que é verdadeira é o fato de que a ciência e os arqueólogos não a acharam, porque o bloqueio é tão grande que eles perdem a oportunidade de fazer história, por simplesmente acharem que o dilúvio não aconteceu.
Veja como é fácil descobrir a verdade sobre os fatos, é ter coragem de enfrentar os medos e a própria intuição. Ciência não se faz só esperando evidências, ciência se faz perguntando e buscando a verdade doa a qem doer. Ciência que vive pregada na mentira e na oligarquia de certos pensamentos retrogrados e autoritários não é ciência. Lembram-se de Albert Einstein quando fez a Teoria da Relatividade imagine se ele tivesse aceitado que sua teoria estava errada, somente baseado na teoria vigente em sua época, ele teve que se impor ao conhecimento atrasado da física de sua época.
Irei escrever sobre novos achados e assim nossa busca por conhecimento não fica só nos livros de história, veja que isso é buscar o conhecimento, buscar novas ideias. Use sua intuição sempre, acredite nela. Eu gosto de uma frase que está em uma publicidade do Canal Futura ( acho que é um canal moderno e bem instrutivo e que deveria ser um canal padrão na Tv em vez daquele monte de abobrinhas de todos os dias)
"Não são as respostas que movem o mundo, são as perguntas."