Anunnakis: evidências.

Há um tempo atrás as pessoas me diziam que os crânios alongados era feitos de forma artificial, colocando tiras de couro é uma prática de muitas tribos na África e na América do Sul, podem ser confirmadas, com um simples olhar de um profissional que conheça anatomia. Os crânios normais te 2 parietais e o crânios alongado somente frontal e  1 parietal, essa é uma evidência porque todos os humanos tem 2 parietais, então fica fácil descobrir qual é artificial e qual é natural. 
Todos sabem que os Anunnakis estiveram na América do Sul e na África, no Egito antigo e em algumas tribos africanas como o povo Zulu e os Dogons. Os dogons guardam detalhes de onde eles vieram e chamam eles de povo vestido de peixe.
Depois dessas imagens é mais fácil comprovar que os mesmos seres visitaram os Dogons e os Sumérios. é difícil tentar desmentir a verdade imposta pelos mentirosos. Escondem a verdade de todos até mesmo dos próprios filhos. A primeira imagem do peixe foi feita pelos Dogons e a segunda pelos sumérios.



Essa é uma evidência que os Anunnakis estiveram na Suméria e na África e na América do sul, entre os Incas e o povo que viveu em Nazca. Estudando os crânios alongados por todo o planeta há várias informações sobre eles, mas o único lugar onde encontramos crânios intactos e ainda com pele e cabelo e podemos notar algumas semelhanças com crânios dos Anunnakis, veja essa  imagem de um crânio de uma mulher encontrada em Nazca. porque é tão seco no deserto que pode preservar e mumificar um corpo humano.

Observem a forma do crânio com a imagem de uma mulher anunnaki, junto com essa mulher foi encontrada uma criança e observem a imagem dos sumérios de uma mulher anunnaki, observem o cabelo parece um chapéu de tão longa que é a cabeça, esse crânio tem as mesmas características da estátua. Observem a cor dos cabelos é bem avermelhados e um tom diferente parece até tingido, mas é a cor do cabelo original.
Esse crânio é com certeza um crânio de um mulher híbrida anunnaki/homosapiens. Observando o cabelo que começa na testa acima dos ossos do olho, na imagem da estátua vemos que o cabelo sobe por causa co crânio alongado e é possível ver que são muito parecidos, o que difere são  os olhos e a protuberância do nariz. Nesse crânio podemos perceber uma característica reptiliana no ser humano e já mostrei isso aqui em meu blog, que é o angulo da testa em relação ao queixo.
Leia em: http://contatoalienigena.blogspot.com.br/2011/08/cranio-anunnaki-mais-evidencias.html

Nesse artigo eu mostrei as semelhanças do crânio anunnaki encontrado no Perú, em Cusco.
Veja bem o angulo é típico de crânios reptilianos e crânios alongados.
Aqui é a mentira de que o crânio de Djoser foi usado para fazer o rosto da esfinge, na verdade o ângulo Djoser era menor,então  não foi usado o rosto dele, a esfinge é muito mais antiga  e representa algum antigo reptiliano que foi rei do Egito.

Nessas imagens podemos ver que Djoser, é desclassificado como o modelo de rosto e está mais parecido com o rosto a ANUNNAKI.

Nessas imagens existe o perfil da esfinge egípcia, o crânio Inca em uma mulher do Congo e mostram a verdadeira hibridização do homem anunnaki com o ser humano. Toda a diferença está na quantidade de massa cerebral, isto é a capacidade intelectual diferente, a do ser humano é menor e menos inteligente.
Novamente o crânio é idêntico as imagens da esfinge, da mulher do Congo e das estatuas suméria. Vamos analisar mais umas estátuas e notar as mesmas características, quero explicar que todo artista mantem as características de quem é retratado, então são bem reais.
Observe essa imagem com a que está embaixo, observe as mesmas características inclusive os olhos e o pequeno globo na testa, trata-se de alguém  muito parecido, essa é a forma de um crânio masculino que é pontudo.



Poderia escrever um longo artigo sobre o assunto apresentando várias evidências que os Anunnakis são tão verdadeiros como eu e você, e que a ciência está completamente perdida. Pois reescrever a história é muito difícil e já pensou ter que refutar as teorias do Darwin, vai revirar no túmulo. (rs)
O mito da criação Dogon: o povo Nommo.O Dogons quando foram interpelados sobre o seu mito de criação, disseram aos pesquisadores que foram criados pelo povo Nommo que vieram da estrela Sírus. Para eles essa sabedoria vem sendo transmitida desde a antiguidade, de sacerdote para sacerdote até hoje.
O mito da criação diz que a o universo começou como uma minúscula semente ( Big Bang) chamada: Fonio, que é conhecida como Digitaria Exilus, e assim tudo se originou( quando li isso, pensei eles tinha m todo o conhecimento, inclusive da teoria do Big Bang. A criação começou na estrela Po Tolo, que é a menor estrela ou como os astrônomos modernos a conhecem: Sírius B, da constelação  de Cão Maior.
A tribo descreve que as órbitas compartilhadas de Sirius A e de Sirius B formam uma elipse, com Sirius A localizada num dos seus focos: uma ideia que a astronomia ocidental só levou em conta no início do século XVII, quando Johannes Kepler propôs que os corpos celestes se movimentavam em círculos perfeitos. Os Dogons também dizem que Sirius B demora 50 anos para completar uma órbita em volta de Sirius A, a astronomia moderna estabeleceu que o seu período orbital é de 50,4 anos.  O que se torna realmente assustador é o conhecimento que dizem ter de um terceiro astro do sistema Sirius, ainda não descoberto pelos astrónomos. Os Dogons chamam a este terceiro corpo de Emme Ya ou “Mulher Sorgo” (um cereal) e dizem que é uma estrela pequena com apenas um planeta na sua órbita, ou um grande planeta com um grande satélite. Toda essa história foi confirmada depois de 100 anos que o homem se deparou com a sabedoria Dogon, imagine 100 anos antes os dogons já sabiam sobre todos esses fatos?
A forma como os Dogons adquiriram conhecimentos astronômicos continua sem respostas. No entanto, a tribo africana explica os seus conhecimentos astronômicos do sistema Sirius de uma forma muito simples: os seus antepassados adquiriram-nos de visitantes anfíbios extraterrestres, chamados por eles de “Nommos”, provenientes da estrela Po Tolo (Sirius B).Fonte:http://ceuva.blogspot.com.br/2012/10/os-dogons-e-estrela-sirius_16.html


As descrições que os Dogons fazem são muito precisas. Contam que os Nommos chegaram pela primeira vez , do Sistema Sirius, numa nave que girava em grande velocidade quando descia e que fazia um barulho tão forte como o de o rugido do vento. Também dizem que a máquina voadora aterrou como se fosse uma pedra na superfície da água, semeando a terra como se “jorrasse sangue”. Alguns estudiosos dizem que, na língua Dogon, isso se assemelha ao “escape de um foguete”. Os Dogons também falam que pode ser interpretado como a “nave mãe” colocada em órbita.
Os Dogons acreditam que deuses (Nommos) vieram de um planeta do sistema Sirius, há cinco ou seis mil anos atrás. Na linguagem Dogon, Nommos significa “associado à água... bebendo o essencial”.  Segundo a lenda, os anfíbios Nommos viviam na água e os Dogons referem-se a eles como “senhores da água”. A arte Dogon, mostra sempre os Nommos parte humanos, parte répteis. Lembram o semideus anfíbio Oannes dos relatos babilônios e o seu equivalente sumério Enki.
Fonte:http://ceuva.blogspot.com.br/2012/10/os-dogons-e-estrela-sirius_16.html

Bom, observem que as ligações são interessantes e agora sabemos que os Anunnakis estiveram nos 3 continentes, fazendo as mesmas coisas. Isso também prova, algo dito nos tabletes sumérios sobre a divisão da Terra pelos extraterrestres em 3 grandes porções de domínios anunnakis, o neto de Enki (Mardk) América do Sul ou conhecido como o lendário Quetzalcóatl.
Isso tudo prova que o ser humano teve em seu início  ajuda de seres extraterrestres. E que viveram em várias partes do globo ensinando astronomia. Os alienígenas diziam: devem conhecer as estrelas e os movimentos dos planetas e marcá-los com precisão. Esse fato hoje para a ciência é algo que eles ficam demasiadamente desconfortáveis, porque parece que os alienígenas sabiam que um dia a ciência iria descobrir e que iriam impedir o conhecimento, só nem todos são não estudam e não pesquisam.
Uma coisa que me difere das pessoas normais é que sempre procuro saber a verdade e vou atrás dela e por incrível que pareça sou recompensado, e faz parte da busca da iluminação você procurar as  informações, não seja como aqueles que ficam esperando informações, e vá atrás dela, só assim será recompensado e quem não conseguir o jeito é continuar na matrix.